Condeixa-a-Nova – Brasileiros em maioria no Museu de Conimbriga

Estudo refere que os brasileiros lideram públicos estrangeiros


Pombal 97 fm / Cultura – Os brasileiros ocupam o primeiro lugar no número total de visitantes do Museu Monográfico de Conimbriga, no concelho de Condeixa-a-Nova.
Esta é a conclusão de um estudo que refere que os visitantes estrangeiros representam 50% dos públicos do referido museu, com os brasileiros a liderarem o grupo com 33% da afluência a este espaço cultural e de investigação.
De acordo com o estudo apresentado no auditório deste museu nacional, na presença da directora-geral do Património Cultural, Paula Araújo da Silva, ficou a saber-se que os públicos estrangeiros têm diversas proveniências, com destaque para o Brasil, com 33%. Para além dos 50% de visitantes nacionais, “sendo 3% residentes noutros países, a metade da procura do Museu Monográfico de Conimbriga reúne públicos de 38 nacionalidades”, afirmou José Soares Neves, coordenador científico da equipa de análise dos resultados do trabalho, que abrangeu os 14 museus nacionais tutelados pela Direcção-Geral do Património Cultural.
“Outros países com percentagens significativas, embora a larga distância do Brasil, são a Espanha (16%), a França (13%) e a Inglaterra (9%)”, observou, adiantando que “somados, os públicos provenientes destes quatro países representam mais de metade dos estrangeiros”.
No estudo é referido, ainda, que, dos públicos estrangeiros, 5% vivem em Portugal e que os públicos nacionais residem, maioritariamente, na região Centro (51%), onde se instala este museu. Nele se indica, também, que merecem ainda referência a Área Metropolitana de Lisboa e a região Norte, ambas com 21%, com os públicos de nacionalidade portuguesa a registarem um “valor ligeiramente abaixo” do conjunto de museus abrangidos pelo estudo.
Na cerimónia, Paula Araújo da Silva afirmou que os museus, “para terem visitantes e estarem muito actualizados, têm de ter outras actividades associadas ao seu trabalho principal”, nomeadamente conferências e exposições temporárias.
Entretanto, o director do Museu Nacional de Conímbriga, José Ruivo, alertou para a necessidade de a equipa de restauro da instituição ser reforçada com a contratação de novos profissionais, salientando que, caso não sejam contratados mais técnicos, “algumas das imagens que abrilhantam” o complexo arqueológico junto do público “poderão não passar de uma evocação nostálgica” dentro de alguns anos.
Também o presidente da Câmara Municipal de Condeixa, Nuno Moita da Costa, referiu que “a tutela, ao longo dos anos, se tem esquecido um pouco de Conímbriga", dando conta de que “falta as Finanças libertarem o dinheiro para a Cultura".

97FM - Pombal Vértice Luminoso