Leiria – Cinco Concelhias da JSD demarcam-se

Acusam a JSD Distrital de Leiria de “constantes atropelos ao normal funcionamento”


Pombal 97 fm / Politica – Estalou o verniz entre os jovens social-democratas do distrito de Leiria, de tal forma que cinco Concelhias já anunciaram a sua ruptura com a Comissão Distrital.
Não sopram bons ventos para os lados da Juventude Social Democrata (JSD) no distrito de Leiria, com as Concelhias de Ansião, das Caldas da Rainha, de Figueiró dos Vinhos, de Peniche e de Pombal a tornarem pública a sua ruptura com a Comissão Política Distrital, “na sequência de constantes atropelos ao normal funcionamento e relacionamento institucional”.
Segundo as cinco Concelhias, “desde o início do mandato, esta Comissão Política Distrital, especialmente o seu Presidente, revela uma postura antidemocrática, de desrespeito pelas opiniões contrárias e marginalização daqueles que as emitem”, sublinhando que “os espaços de discussão política têm sido praticamente inexistentes, não havendo, durante largos meses, lugar a reuniões da Comissão Política e, muito menos, a reuniões do Conselho Distrital, num flagrante desrespeito pelos Estatutos da JSD”.
As contestatárias afirmam, em comunicado, que “o processo decisório é verdadeiramente autocrático, centrando-se no Presidente da Comissão Política e na sua Comissão Política Permanente, órgão cuja constituição não está prevista estatutariamente e que foi desenhado à medida para tirar margem para vozes discordantes”.
E adiantam que “o desrespeito pelos órgãos e pelas estruturas revela-se também, por exemplo, na organização da ‘Volta Distrital do Secundário’, sem articulação quer com as concelhias quer com o Coordenador do Ensino Básico e Secundário” no que as concelhias consideram ter sido “uma actividade destinada, exclusivamente, ao cumprimento de agendas pessoais e na promoção de guerrilhas internas sem concelhias, como aliás tem sido prática corrente da Distrital”. Esta actividade, prosseguem, “foi também uma manobra de show-off perante as emergentes opiniões que denunciavam a inércia e o facciosismo da Comissão Política Distrital, que pretendeu mostrar uma falsa união e abrangência, passando em todos os concelhos, mas sem envolver as respectivas concelhias, desrespeitando em vários casos as opiniões das mesmas”.
De resto, o referido show-off e, também, “o maquilhar do desmembramento” desta Distrital continua quando, “para fazer prova de vida, se publicita uma reunião do Gabinete de Estudos, na qual apenas estão dois membros desse Gabinete” algo que parece não ser caso isolado já que “as reuniões cingem-se, agora, a representantes de 4 ou 5 concelhias, deixando patente a completa desconexão em relação à realidade distrital”.
A falta de identificação entre os militantes e a Comissão Distrital “torna-se flagrante quando uma actividade como a Academia de Jovens Autarcas passa, de um ano para o outro, de cerca de 100 participantes para cerca de 30”, vincam as cinco Concelhias que referem, igualmente, “a completa ausência de conteúdo e acção política e, consequentemente, de projecção mediática” que, no seu entender, “são bastante reveladoras da qualidade do trabalho desenvolvido por esta Comissão Política”.
Considerando que o foco da actividade da JSD Distrital de Leiria “deveria ser a apresentação de propostas políticas, a formação de quadros políticos, o estímulo à participação política dos jovens de todo o distrito (sem excepções e marginalizações) e o apoio à actividade política de todas as concelhias”, as contestatárias sublinham que a JSD “não deve nem pode servir para a prossecução de objectivos e agendas pessoais, nem ser um instrumento para lutas ou manutenção do poder em quaisquer outras estruturas”.
“O repúdio total por estes comportamentos” levou a que vários militantes destas concelhias, “bem como das de Alvaiázere e de Castanheira de Pêra”, tivessem apresentado a sua demissão dos cargos na estrutura distrital, contam as Concelhias subscritoras do comunicado, manifestando a sua total disponibilidade “para participar na vida da JSD Distrital de Leiria, mas numa perspectiva integradora e construtiva, de apoio às concelhias e não de ruptura com as mesmas”.

97FM - Pombal Vértice Luminoso