Arrumar queques em caixas

O que os alunos dizem

Turma F - Gualdim Pais


 

Todos os dias, tomo decisões sobre como estruturar o ambiente de aprendizagem. Essas decisões determinam, em grande parte, aquilo que os alunos aprendem tendo em conta a criação de um ambiente intelectual, no qual o raciocínio matemático constitui uma norma, encorajando os alunos a pensar, a questionar, a resolver problemas e a discutir as suas ideias, estratégias, soluções e onde o erro é encarado de uma forma positiva e não como objeto de críticas ou de sanções.


A atividade apresentada, é uma forma de compreendermos como os alunos pensam, o que eles dizem em determinada atividade e as conjeturas que fazem sobre determinados tópicos do programa de Matemática.


Na atividade apresentada foram colocadas questões oralmente ao longo das aulas em determinados momentos, estas questões estrategicamente colocadas serviram de suporte às aprendizagens esperadas, serviram de reflexão e nas quais os alunos aprendem tanto a ouvir os outros como a expor os seus próprios pontos de vista.

 

1º Momento


Comecei por colocar a seguinte questão:


“Quando vamos a uma pastelaria e compramos um bolo de aniversário, onde é que é colocado o bolo?”


Alunos: É colocado numa caixa.

Professora: As caixas que são utilizadas para colocar os bolos de aniversário são todas iguais?


Sérgio:
Não. Porque se o bolo for pequeno a caixa é mais pequena e se for um bolo para muita gente a caixa é maior.


Professora: As caixas utilizadas nas pastelarias são utilizadas só para embalar bolos de aniversário?


Joana: Não. A minha mãe no outro dia foi buscar rissóis e ela trouxe para casa numa caixa.


Francisco: Quando a minha irmã fez anos, a minha mãe foi buscar pastéis à pastelaria do Cardal.

 


2º Momento


Após este diálogo com a turma apresentei a atividade: “Arrumar queques em caixas”.


Foram colocadas as caixas de diferentes tamanhos estabelecendo uma letra para cada uma das caixas.

 

Caixas de diferentes tamanhos utilizadas para a embalagem de bolos

 

Os alunos estão distribuídos em grupos de 4 a 5 elementos. Foram distribuídas caixas de diferentes tamanhos nos grupos e foi pedido a cada um dos grupos que arrumasse os queques.

 

    

Fase inicial na arrumação dos queques nos diferentes grupos

 

Os alunos nos diferentes grupos arrumaram os queques, verificaram se estavam bem arrumados e posteriormente colaram-nos nas respetivas caixas.

 


3º Momento


Cada um dos grupos foi mostrar a sua caixa à turma, respondendo às questões que foram colocadas.

 


GRUPO 1

Alunos do grupo 1 – Mariana, Maria, Rita e Rafael



Professora: Foram colocados quantos queques na vossa caixa?


Alunos: Vinte.


Professora: Indiquem diferentes formas de contar a quantidade de queques que têm na caixa.


Maria: 4 4 4 4 4 ou 5 x 4.


Rita: 5 5 5 5 ou 4 x 5.


Professora: A vossa caixa tem 20 queques, se cada queque custasse 20 cêntimos, quanto pagariam pelos queques todos?


Rafael:
2 euros.


Maria: Não. São 20 queques como é que pode ser só 2 euros.


Rafael: Mas são 2 euros, porque 20 cêntimos vezes 10 queques são 2 euros.


Professora: Rafael. A caixa do vosso grupo tem 20 queques.


Rita:
São 4 euros.


Professora: Concordam?


Silêncio.


Rita: São 4 euros, porque 20 x 20 são 400 cêntimos e 100 cêntimos é 1 euro, então 400 cêntimos são 4 euros.
 


GRUPO 2

Alunos do grupo 2 – Sérgio, João Berbert, Francisco e Matilde


Professora:
Expliquem à turma como é que pensaram quando começaram a arrumar os queques e quando é que decidiram colar os queques?


Sérgio:
Primeiro experimentámos quantos queques cabiam na caixa. Depois pusemo-los em filas, para ficarem certinhos. Só no fim é que colámos.


João B.:
Só colámos quando tivemos a certeza.


Professora:
Indiquem diferentes formas de contar a quantidade de queques que têm na vossa caixa.


Francisco: 3 3 3 3 ou 4 x 3.


Sérgio: 6 6 ou 2 x 6.


Matilde: 4 4 4 ou 3 x 4.


Professora:
A caixa do vosso grupo é a caixa B e a do grupo 1 é a caixa C.
Quantos queques a caixa B, leva a menos em relação à caixa C?


Matilde: Dezoito.


Francisco e Sérgio: Oito.


Professora: Quantos queques a caixa C, leva a mais em relação à caixa B?


João B.: Oito queques.

 


GRUPO 3

Alunos do grupo 3 – Marco, Vitor, Beatriz e Ana


Professora:
Quantos queques colocaram na vossa caixa?


Vitor: Seis queques.

Professora:
Indiquem diferentes formas de contar a quantidade de queques que têm na vossa caixa.


Vitor: 3 3 ou 2 x 3.


Marco: 2 2 2 ou 3 x 2.


Professora:
A caixa do vosso grupo tem 6 queques e a do grupo 2 tem 12 queques.
O que é que podemos dizer da quantidade de queques que tem a vossa caixa em relação à do grupo 2?


Vitor:
A nossa caixa tem metade da caixa deles.


Professora:
Então o que é que podemos afirmar?


Beatriz:
Seis são metade de doze.


Marco:
Doze são o dobro de seis.


Professora:
A quantidade de queques que tem na vossa caixa corresponde a uma quantidade par ou ímpar?


Vitor: Seis é um número par.


Professora: Explique porque é que seis corresponde a uma quantidade par.


Ana Rita: Porque têm amigos.


Marco: Porque todos os queques têm amigos.


Vitor: Dois queques são um par de amigos, seis queques são três pares de amigos. Seis é um número par.

 

GRUPO 4

Alunos do grupo 4 – Joana, João Ferreira e Henrique


Professora: A caixa do vosso grupo tem a mesma quantidade de queques de qual grupo?


Joana: Do grupo 3.


Professora:
Se eu colocasse queques com a mesma disposição em 3 caixas iguais à do vosso grupo, quantos queques teríamos?


Joana: Dezoito.


Professora: E se tivéssemos 5 caixas iguais?


João F.:
Vinte queques.


Henrique:
Vinte e cinco.


Professora: Em cinco caixas.


Joana:
Trinta queques.



Ao longo das aulas os alunos revelaram interesse nas atividades, este interesse prende-se com o facto de terem sido situações que lhe são próximas.


A atividade “Arrumar queques em caixas”, foi uma atividade comum para os diferentes anos de escolaridade. Em turmas que existam mais do que um ano de escolaridade é de extrema importância realizarem-se com regularidade atividades em que ambos os grupos possam participar ativamente.


A criação, na sala de aula dum meio social e materialmente estimulante para as aprendizagens na área da Matemática são fatores entre outros, decisivos em promover o interesse, aprofundar conceitos, raciocinar logicamente, na utilização de materiais de apoio, onde o erro é encarado de uma forma positiva e não como objeto de críticas ou sanções.


Foram colocadas questões oralmente ao longo da aula em determinados momentos, estas questões estrategicamente colocadas serviram de suporte às aprendizagens esperadas, serviram de reflexão e nas quais os alunos aprendem tanto a ouvir os outros como a expor os seus próprios pontos de vista.


A avaliação das aprendizagens foi feita de forma direta, tendo em conta o envolvimento e empenho dos alunos na atividade.


Os alunos realizaram as atividades, envolveram-se nas aprendizagens, empenharam-se de forma responsável assegurando um bom funcionamento da sala de aula, cooperaram com outros colegas na concretização das tarefas, as competências/aprendizagens esperadas foram cumpridas, as estratégias e metodologias adequadas aos alunos.

 

 

Isabel Belo

 

Largo das Alminhas | 2017-06-24 | 14:00 - 23:30
Espaço Galeria Cabaret Abiul, Pombal | 2017-06-24 | 10:00 - 00:00
Pombal | 2017-06-25 | 09:00 - 00:00
Centro Escola da Freguesia de Vermoil | 2017-06-26 a 2017-09-08
Castelo de Pombal | 2017-06-26 | 21:00 - 00:00
97FM - Pombal Vértice Luminoso